Érica

Resenha & Entrevista – Érica

por: Caroline Moreira

rica_1402794853b

Sinopse: Moscou. Dois jovens sobrevivem a um duplo atentado que mata quase todos os seus amigos. Cairo. Uma ONG islâmica tenta escapar de uma armadilha, arquitetada por integrantes da Ordem das Doze Tribos de Israel. Washington. Na sede da Ordem, a filha de um funcionário da Casa Branca cai em ciladas para que seu pai colabore com os radicais. Pequim. Um filho procura o pai, há meses desaparecido. Fortaleza. Em uma triste manhã, Érica encontra seus pais mortos… Nessa incrível trama, todas essas histórias se entrelaçam de forma impressionante. E somente Érica, que acaba de descobrir que foi incluída em uma lista negra da Ordem das Doze Tribos de Israel, poderá impedir uma grande desgraça planejada por judeus fundamentalistas, prestes a atingir a todos.

Com um vocabulário que insere a formalidade quando necessária e a linguagem coloquial assim que o contexto exige, as 271 páginas de Érica fornecem ao leitor uma sensação de como o assunto tratado pela obra é sério, mas com pitadas de humor e romance, nada muito aprofundado visto que o conteúdo não perde tempo com desenvolvimento de casais, a maioria deles ocorre de forma natural e como os personagens que se envolvem se conhecem há um tempo, não parece aquela situação forçada que às vezes a gente encontra nos enredos por aí.

Não sei por que, mas a ideia em si me lembrou Sense8, okay, eu sei bem o porquê. Assim como em Deixe a Neve Cair do John Green e a série Sense8 as histórias seguem entrelaçadas, você pode perceber isso de cara (está escrito atrás também hahaha) ou ir compreendendo aos poucos já que o número de personagens é extenso e pode se perder no enredo. Particularmente, eu não tive esse problema, tinha visto uma sugestão da Joana de anotar os nomes, que também resenhou esse livro no canal dela, o Infinite Book List. Mas eu não fiz isso por preguiça, admito, hahaha e não ia conseguir ficar parando para adicionar os nomes, até porque eu considero essa leitura do livro, uma leitura de um dia.

Em primeiro lugar, porque ele é curto, então, você não encontrará taaanta dificuldade em lê-lo sem parar, e em segundo lugar, porque a história não para! É ação e movimentação aqui, lá, pois o enredo gira em torno de Moscou, Cairo, Washington, Pequim e Fortaleza, esta última cidade que é o que faz a história se movimentar de vez, com a morte dos pais de Érica, não é spoiler isso, está escrito hahaha Bom, por ter também bastante suspense é um livro que você dificilmente vai largar pra ler, porque, você vai querer saber como todas as histórias se conectam, e claro, o desfecho de toda essa situação.

edit-2

Sobre os personagens, não irei mencionar todos porque se não, isso aqui nunca acabaria! Em relação a Érica, tive duas opiniões sobre ela: eu não me simpatizei de cara, porque ela era muito racional e eu nem entendo como isso era possível! Mas depois eu percebi que tinha uma invejinha super do bem por ela administrar tão bem as suas emoções, pelo menos em boa parte do livro, a única vez em que a vi sair de si foi na morte nos seus pais, PORQUE ERA A MORTE DOS PAIS DELA, ORA BOLAS, CAROL. Enfim, fora a Érica, eu shippo Chang e Ling (eu não sei por que mas eu lembrava muita da Sun de Sense8 quando lia e eles nem eram parecidos, de fato, acho que foi pela relação de “irmãos” que parecem ter), mas como disse, “parece”. Porque eu achava os dois tão fofinhos, mesmo nunca tendo momentos muito carinhosos.  É aquele “me importo com você” não convencional, adoro relações não convencionais como a de Chang e Ling.

O enredo é fantástico, de verdade, além de citar Star Wars, Phil Collins, e minha maior paixão: Glee, acaba trazendo o universo juvenil, o dia-a-dia e os sonhos daqueles que compõe a história sem nunca perder o foco da trama. Aliás, seria rude se eu não parabenizasse a autora, gente, ela começou a escrever esse romance aos quinze anos! Ah, o livro carrega consigo muito estudo de história e política, e o mais importante, sempre rola aquela ambientação de forma correta. Você sabe em que lugar do mundo você está, e isso, ainda mais em um livro como esse, é fundamental.

edit 3.png

Uma das coisas que mais adorei foi o fato da autora ter dado visibilidade às lésbicas, em livros nacionais que não tratem especialmente do tema, isso ainda não é tão comum. Porém, ao mesmo tempo em que me alegrei nesse ponto, houve um desapontamento, na página 150, ocorre a polêmica de que talvez Daniel seja gay, e há uma discussão. Acredito que isso não possa ser considerado spoiler… anyway, a mãe de Daniel utiliza “escolha sexual” para se referir a suposta sexualidade do filho, então, por isso, minha sugestão para a autora seria alterar para “orientação sexual”. Infelizmente, isso me chateou bastante, mas acredito que a autora possa ainda mudar isso nas próximas publicações, pois é bem sad ler isso num livro cheio de informações interessantes resultado de muita pesquisa, mas para se referir a sexualidade que é um tema tão atual e polêmico usar uma expressão errada, que causa a má compreensão aos gays, lésbicas, bi, etc… Caso ainda não tenha entendido minha crítica, leia aqui.

Sobre o desfecho: quando eu comecei a notar que estava acabando e eu iria finalizar o livro, eu enlouqueci. Com as peças se encaixando e toda a trama se desenvolvendo, e também com as revelações e muitos acontecimentos, fiquei embasbacada em como ela construiu essa obra sem pontas soltas, com tantas informações e características, e ainda com uma leitura fluida. E como mencionei aborda política e rola até uns flashbacks das aulas de história, porém, não é um livro que você lê e se sente perdido ou burro. Já aconteceu isso contigo? Hahaha Vai ler e parece que o autor não se importou se você conseguiria compreender aquele monte de informações, simplesmente as colocou lá. Larissa Barros Leal teve esse cuidado, e mais do que isso, teve um carinho com esse livro que eu não sei explicar como cada vez que lia, uma vozinha surgia “Esse livro é tão bom ou melhor que muitos livros estrangeiros”. Por isso, meu veredito é: eu amei Érica, queria que ela me ensinasse umas coisinhas e eu ainda quero visitar esses cinco lugares do mundo e dizer que Ling e Chang irão ter um filho tão fofo quanto de Xiaoli e Wu! ❤

Observação final: Siga a autora no instagram: @livroerica e acompanhe as novidades. Ah, gente, observem como a edição das capas estão melhorando, essa é a comparação da primeira e segunda, e na outra foto, a capa mais recente:

    1e2  capa-newww

Fiz algumas perguntinhas básicas para a autora que demorou um pouquinho para responder, mas respondeu haha Confira a entrevista abaixo:

1. A personagem Érica foi inspirada em alguém?

Larissa: Eu não lembro mais detalhes de como criei a Érica, mas ela não foi inspirada em ninguém. Geralmente, evito me inspirar em pessoas específicas para criar personagens.

2. De que forma surgiu a premissa de todas as histórias se relacionarem?

Larissa: Isso estava desde o início!

3. Você começou a escrever esse romance aos quinze anos, e antes disso, já realizava tentativas e participou de muitas coletâneas de contos. Você acredita que sua escrita evoluiu?

Larissa: Evoluiu muito!! Comecei a escrever aos cinco anos, então são uns 15 anos de experiência. Érica foi a minha 5ª tentativa de escrever um livro, na verdade.

4. A capa da 2ª. edição tem um design fantástico, mas fiquei bem curiosa em relação aos motivos e o por quê a capa é desta forma, a garota ao fundo representa Érica? E o que representa essa textura que ela toca?

Larissa: A capa anterior dava a impressão de se tratar de um “romance açucarado”, nas palavras de muitos leitores, então decidimos em fazer algo que traduzisse melhor o clima da história. Quem fez a capa foi a editora, mas a garota representa a Érica sim, e o ambiente ao redor… de certa forma é uma ênfase à sinopse. A Érica pode ajudar a impedir uma Guerra Mundial.

5. Como e quais os motivos de escolher esses cinco lugares do mundo?

Larissa: Pequim e Washington são capitais das duas maiores potências mundiais, então seria importante retratar o que aconteceu nesses locais. Moscou e Cairo foram escolhidos para mostrar duas populações que recebem péssimo tratamento na mídia americana, que os brasileiros consomem muito: os russos (em Hollywood a Guerra Fria ainda não acabou) e os muçulmanos. Frankfurt é um dos corações da União Europeia, que é muito importante na história. Fortaleza… eu nasci e moro até hoje nessa linda cidade que precisa de mais amor na nossa literatura, então por que não?

Obrigada por lerem a resenha e a entrevista, e você, já leu ou pretende ler Érica? Ah, e em relação a parceria, a autora é super simpática e foi ótimo receber o livro dela para resenha. ❤

carol eu

 

Dona de 18 primaveras. Feminista. Estudante de Pedagogia. Amante de MPB, animes, k-pop, doramas e uma boa xícara de café. Não vive sem livros, filmes ou maquiagem. É apaixonada por Fred Elboni e quer proteger todos os animais do mundo 🌸

FacebookInstagramSkoobTwitterFlickr

Anúncios

43 comentários em “Érica

  1. Adorei a resenha, ficou ótima, inclusive tenho esse livro e amooo, a escrita da Larissa é muito bem elaborada, confesso que fiquei meio pedida no começo, mas logo entrei no ritmo, e que final surpreendente.
    bjus, tem post novo no blog.

    Curtido por 1 pessoa

  2. Carol, e se o uso da expressão “escolha sexual” for intencional? Tipo, se for um discurso de alguém que não entende muito bem a situação? Talvez tenha sido essa a intenção, mas não sei, não conheço a personalidade de quem disse, até porque não li hahaha.
    Quantas resenhas eu já vi sobre esse livro? Várias. E eu sempre fico curiosa, mas, por algum motivo, ainda não comprei. Estou considerando fortemente… Parece uma história incrível. A forma de desenvolvimento pode ser complicada às vezes, tanto para o autor, quanto para o leitor em se acostumar a tantos cenários e personagens diferentes, mas pelo que você disse deu tudo certo. Esse final aí me deixou intrigada.
    Confesso que não curtia muito a primeira capa, tem melhorado mesmo.

    Ótima resenha, amei!!!

    ourbravenewblog.weebly.com

    Curtido por 1 pessoa

    1. Olá, Carol, então, eu pensei sobre isso também, até porque como mencionei a autora pareceu ter feito todo um trabalho de pesquisa para a elaboração do livro. Porém, como a personagem não tinha “preconceito” e estava num pensamento meio que de defesa do filho, fiquei pensativa, sabe… foi meio problemático ou confuso, mas também foi minha única crítica. Ahahah Também posso ter entendido errado, por isso, espero que a autora veja isso e possa esclarecer e então, qualquer coisa, atualizo aqui 🙂 Tem muitas resenhas mesmo, mas sabe, lendo o livro eu percebi que é algo bem complexo mesmo, mas também é intrigante. A terceira capa está ótima em vista da primeira, torço pelo sucesso da autora. Obrigada pelas palavras, beijão, Carol! ❤

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s