O menino dos copos de leite

Resenha  – O menino dos copos de leite

por: Marina Rodrigues

menino

Sinopse: Um conto maravilhoso que narra a história de uma família que na simplicidade e humildade, conheceu e viveu sentimentos belíssimos como o amor, a união, o respeito, a saudade, e soube verdadeiramente cultivar a felicidade. Nas coisas simples, nos pequenos detalhes, nas grandes emoções a família do menino Pedro soube valorizar o que a vida tem de melhor. O menino dos copos de leite é um conto fascinante que com certeza emocionará o leitor, revelando em cada linha a grandeza das coisas simples. 

Número de páginas: 28
Onde encontrar? Chiado & Livraria Cultura
barra

O Menino dos copos de leite é um livro bem curtinho, um conto que encanta em suas 28 páginas. Pedro, também conhecido pela alcunha que é nome título da obra, vive em uma casa simples com seus pais, Júlio e Maria, e o cão Esperteza; do outro lado, atravessando um pequeno bosque, vivem seus avós, Seu Antônio e Dona Glória. Com eles também morava o sentimento de felicidade!

Moravam ali apenas três pessoas, ou melhor dizendo, quatro; Pedro Antônio, Maria sua mãe, seu pai Júlio e a felicidade.

As flores copos-de-leite são sinônimo de pureza, paz, tranquilidade e calma. O amarelo que há dentro do “copo” significa prosperidade, felicidade e iluminação espiritual. Creio eu, planta escolhida a dedo para ser protagonista do conto.

Bastava o sol se pôr, e logo Pedro começava a sentir, não era o relógio que lhe comunicava a hora, era o cheiro dos copos de leite penetrando no mais íntimo de seu ser.

Pedro deve ter por volta de 10 anos, não frequenta a escola, mas toda tarde vai a casa de seus avós para ser alfabetizado e aprender sobre a vida. Por vezes, o menino acompanhava seu pai e seu avô até um povoado chamado Vila Verde, não muito longe de onde eles moravam em Serra Bela, para vender os produtos da horta que eles cultivavam no quintal. Lá havia muitas crianças do tamanho de Pedro para brincar, mas ele se sentia deslocado, preferia viver entre adultos, talvez pela dificuldade o ter amadurecido um pouco mais rápido. A vida lhe era uma professora e o cheiro dos Copos-de-leite que lhe anunciavam o início de um novo ciclo de aprendizagem.

Entre as flores que sua mãe tanto cuidava ao redor da casa, uma era diferente, especial, era ela que lhe anunciava que já era hora de viajar, era ela que lhe levava a um mundo diferente que ele tanto adorava, o mundo das palavras.

Por vezes, o menino me lembrava o próprio Pequeno Príncipe, talvez pela sua pureza de visão de mundo e sua felicidade inabalável. Uma das frases que mais gostei do livro foi “porque são muitos os que olham o horizonte, porém tão poucos os que conseguem vê-lo.”, ela me lembrou uma frase de Antoine de Saint-Exupéry que diz “Amar não é olhar um para o outro, é olhar juntos na mesma direção.”. Para mim, as frases se relacionam de uma forma abstrata, logo pude interpretar como a falta de amor que há atualmente em nossa sociedade, mas que o conto traz de uma maneira singela para dentro de nossos corações.

Ademais, o final eu deixo para vocês, mas para quem gosta de spoiler ou já leu e gostaria de ouvir mais algumas interpretações sobre, aviso logo que tive várias, mas a dúvida e a interpretação que logo me saltaram as olhos foi de se quem achou o caderno de anotações não poderia ser o próprio menino mais velho, que faz uma interpretação dos fatos já com seu olhar adulto e que brinca de não lembrar, podendo até mesmo ser uma forma “jornalística” de analisar sua infância, pois o livro termina da mesma forma que o caderno de Pedro. Além disso, imagino se o autor não seria o próprio personagem que encontra tais anotações.

Se é verdade que a casa era pequena, não se pode dizer o mesmo do coração dos seus habitantes.

Portanto, dessa vez, não me prolongarei em partes técnicas, mas na história em si. Sendo assim, visto que o livro é tão curtinho, já falei o suficiente, embora ainda pudesse falar muito mais, mas prefiro deixar o resto das interpretações com vocês. Indico para quem tem olhar de poeta. Se já leste, deixa aqui tua interpretação e opinião, que eu vou amar saber!

“Um livro vai para além de um objeto. É um encontro entre duas pessoas através da palavra escrita. É esse encontro entre autores e leitores que a Chiado Editora procura todos os dias, trabalhando cada livro com a dedicação de uma obra única e derradeira, seguindo a máxima pessoana “põe quanto és no mínimo que fazes”. Queremos que este livro seja um desafio para si. O nosso desafio é merecer que este livro faça parte da sua vida.” — mensagem da Editora Chiado no começo do livro.

MARI

 

Gosta de escrever na terceira pessoa, comer brigadeiro de colher e ler creepypasta de noite. Aprecia boa música, é uma cinéfila irremediável, leitora compulsiva e fã número um de uma boa xícara de café. Ariana, 21 anos, estudante de Medicina e não adepta de rótulos.

FacebookInstagramSkoobFlickr

Anúncios

54 comentários em “O menino dos copos de leite

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s