Alice no espelho

Resenha – Alice no espelho

por: Marina Rodrigues

32dac901-123d-4496-9586-b43c3b9fc52b

Sinopse: Alice é uma adolescente que responde de maneira destrutiva aos problemas que é obrigada a enfrentar, como a ausência do pai, o qual ela não vê desde pequena. Gradativamente, Alice entra em um processo de anorexia e bulimia que nem a mãe, obcecada por ginástica e regime, nem a avó se dão conta. Essa percepção só ocorre no momento agudo da doença. Mesclando a história de Lewis Carroll, a autora relata de maneira muito sensível e numa linguagem atual e direta um drama cada vez mais presente em nosso cotidiano. 

Número de páginas: 160
Onde encontrar? Saraiva
barra

É inegável que eu virei fã da Laura Bergallo depois de ter lido Dom Quixote de La Plancha e que ela é uma das minhas escritoras brasileiras preferidas, então creio que isso faz a minha opinião parecer ser um pouco tendenciosa ou suspeita, mas, talvez, saber que ele foi premiado com o Prêmio Jabuti de livro juvenil e selecionado para a 44ª Feira do Livro Infanto-Juvenil de Bolonha, na Itália, deixe vocês mais seguros da minha humilde opinião.

Fazendo um paralelo com a obra de Lewis Carroll, Alice no espelho nos apresenta a história de Alice (sem ser aquela do país das maravilhas), que foi abandonada pelo pai ainda muito pequena e que agora passa pela fase da adolescência e se depara com os problemas típicos dessa fase, como a insegurança. Por conseguinte, a nossa pequena Alice se vê em uma situação que, querendo ou não, todos passamos diariamente e desde bem cedo: o bombardeamento midiático. A partir dessa perspectiva, a vontade de se encaixar e se adequar ao padrão imposto fez com que ela desenvolvesse um transtorno alimentar — muito comum, inclusive, já são mais de 150 mil casos anuais só no Brasil — a anorexia. Assim, o inesperado acontece, Alice se depara com sua imagem refletida no espelho, mas, dessa vez, ao invés de não gostar do que vê refletido, ela o atravessa e, assim como aquela do País das Maravilhas, ela se depara com uma grande aventura.

A partir daí, dentro do espelho, ela conhece Ecila (Alice ao contrário, para quem não percebeu), uma menina que parece com ela, apenas um pouco mais cheinha. Ecila, então, informa para Alice o quanto as coisas são diferentes daquele outro lado, lá, aos 16 anos, as pessoas devem passar pela Transformação, em que as pessoas devem escolher entre alguns modelos — digo que são modelos tanto em termos de ‘‘aquilo que serve de objeto de imitação’’, quanto ‘‘pessoa que trabalha na reprodução do trabalho de algum artista’’ — que são poucos, de corpo para possuir pelo resto da vida. Alice acha a ideia de se parecer com sua modelo preferida, Mirna Lee, maravilhosa, e não entende que, de todas as pessoas daquele lugar, Ecila, uma menina gorda aos olhos de Alice, era uma das únicas que não queriam aceitar A Transformação que a nossa protagonista sempre quis, mas a menina do outro lado do espelho, ao levar Alice na sua fuga do procedimento, demonstra toda sua personalidade ao nos mostrar como é se sentir bem consigo mesma e que ser feliz mesmo é se sentir confortável e bonita por dentro antes de por fora, porque o ser humano vem em todos os mais variados formatos e tamanhos.

O livro é fantástico, indico para todo mundo e para todas as idades. No começo do livro, Laura o dedica para Lewis Carroll, que ‘‘há mais de um século abusou do direito de ser diferente’’, e é essa a mensagem que tirei para mim dessa leitura. Cada ser é único, fantástico e original, não se percam tentando alcançar quem vocês não são, saiam em uma aventura em busca de si mesmos, vai valer muito a pena, eu garanto. Bem, para quem não sabe, esse mês eu tive o prazer de entrar para a redação do Blog Abobrinha com Chocolate como colunista de contos e crônicas, meu primeiro texto postado ao longo desse ano foi um texto que escrevi depois de ser inspirada por esse livro e você pode conferir ele aqui.

Agora, eu quero abrir aqui um espaço para falar do trabalho incrível da Editora SM na coleção Muriqui, em que está inserido o livro. Essa pequena descrição aqui se encontra no verso do livro e me chamou muito a atenção: ‘‘A coleção Muriqui é assim: traz histórias que falam de coisas que a gente vive. Como quando os pais se separam, quando o melhor amigo vira um chato ou até quando a gente começa a perceber que gosta de alguém para namorar. E mais um monte de questões que valem ser pensadas com calma. E aí? Quer saber? Você sabia que os macacos muriquis estão ente as espécies mais ameaçadas de extinção em todo o planeta? Atualmente eles habitam uma pequena faixa da também devastada Mata Atlântica. É umas, porque os Muriquis são bem legais: não competem em nada e sempre protegem e respeitam um ao outro. Aliás, essas características combinam com o seu nome, que, em tupi, quer dizer ‘povo tranquilo’. A gente pode aprender muito com toda essa tranquilidade e respeito!’’.

Não, não pense que me pagaram para escrever esse elogio à editora aqui, mas, de coração, esse foi um dos livros mais bem cuidados em termos editoriais já recebido aqui no Blog. A coleção Muriqui é uma iniciativa fantástica, são livros de cunho crítico que acrescentam temas necessários na evolução de crianças e jovens e ainda com muita consciência ambiental. Em minha opinião, esse é um livro que deveria ser leitura obrigatória nas escolas, não é à toa que, se você for um professor e tiver lendo isso pode aproveitar a oportunidade, a Editora SM possui uma cartilha para apoio de leitura que vocês podem encontrar aqui.

Além disso, a revisão é perfeita, a capa é linda, as fontes são incríveis (elas são em um tom avermelhado, achei essa variada da fonte preta uma quebra de expectativa que chama a atenção) e as ilustrações da artista plástica Edith Derdyk são fantásticas! — quem conhece os livros da Laura sabe que esse é um elemento sempre presente e tratado com cuidado, uma forma não só de beleza em forma de palavras, mas da expressão da arte como um todo. Também, ao final do livro, há uma parte sensacional parecida com um Glossário, chamada ‘’quer saber?’’, em que podemos entrar em contato com mais informações sobre o transtorno alimentar que nos é apresentado na história de Alice.

Visto isso, creio que podemos tirar um pouco do nosso tempo para tratar do tema, o que vocês acham?

Primeiramente, você sabe o que é a anorexia?

A anorexia é um distúrbio alimentar que causa uma perda de peso excessiva e que não pode ser considerada normal ou saudável para determinada idade e altura. Pessoas com anorexia desenvolvem uma obsessão pelo peso — esta podendo ser em forma de dietas absurdas, jejuns, exercícios físicos exagerados e até mesmo desenvolvendo outro transtorno, como a bulimia — gerando ansiedade, por não aceitar o corpo da forma que ele é.

As causas da anorexia em parte ainda são um mistério, mas muitos profissionais acreditam que possa ser uma mistura de fatores biológicos, psicológicos e ambientais.

Esses são alguns dos sintomas, ainda que cada paciente possa desenvolvê-los de formas diferentes, não possuir todos ou possuir uma combinação de vários:

#CORPORAL: baixa temperatura corporal, desidratação, desmaio, fadiga, osteoporose, pressão baixa, tontura ou distúrbios do equilíbrio hidroeletrolítico (água e eletrólitos).

#COMPORTAMENTAL: comportamento compulsivo, compulsão alimentar, hiperatividade, impulsividade ou isolamento social.

#HUMOR: ansiedade, apreensão ou culpa.

#PESO: abaixo do peso, perda de peso ou extrema perda de peso e magreza.

#DESENVOLVIMENTO: crescimento lento ou puberdade atrasada.

#MENTRUAÇÃO: menstruação irregular ou ausência de menstruação.

#GASTROINTESTINAL: constipação ou vômito.

#PSICOLÓGICO: depressão ou medo.

Também é comum: Cortar a comida em pequenos pedaços ou movêlos no prato em vez de comêlos. Exercitar-se o tempo todo, mesmo quando o clima está ruim, a pessoa está machucada ou ocupada. Ir ao banheiro imediatamente após as refeições. Recusar-se a comer perto de outras pessoas. Usar comprimidos para urinar (diuréticos), evacuar (enemas e laxantes) ou reduzir o apetite (comprimidos para perda de peso). Pele manchada ou amarelada, seca e coberta por pelos finos. Pensamento confuso ou lento, junto com memória ou julgamento deficientes. Perda de resistência óssea. Desgaste dos músculos e perda de gordura corporal. Batimento cardíaco lento. Dor de cabeça. Manchas roxas.

Como podemos resolver?

O tratamento é feito por meio de terapia. Grupos de apoio, Terapia cognitivo-comportamental, Terapia comportamental dialética, Intervenção psicológica, Psicoterapia interpessoal, Terapia familiar, Terapia comportamental, Psicoterapia, Psicoterapia breve e Terapia de grupo. O tratamento pode requerer o uso de antipsicótico e Inibidor seletivo de recaptação de serotonina (ISRS).

Entre os especialistas estão o Nutricionista, o Psiquiatra. O Psicólogo clínico e o Clínico geral.

ATENÇÃO! Se você se identificou com algum dos quadros apresentados sobre a doença, procure ajuda de um profissional, o distúrbio é completamente tratável e você não está sozinho.

— Fonte: http://www.minhavida.com.br/saude/temas/anorexia e Google.

MARI

 

Gosta de escrever na terceira pessoa, comer brigadeiro de colher e ler creepypasta de noite. Aprecia boa música, é uma cinéfila irremediável, leitora compulsiva e fã número um de uma boa xícara de café. Ariana, 21 anos, estudante de Medicina e não adepta de rótulos.

 FacebookInstagramSkoobFlickr

Anúncios

39 comentários em “Alice no espelho

  1. Oi Marina! Nossa, que demais esse livro. São temas tão delicados e é tão incrível que as pessoas consigam abordar da forma correta né? Conheço alguns livros da editora, mas esse nunca tinha visto. Vou dar uma pesquisada e passar pra frente a dica e a informação também!

    Um beijo,
    Rê | Blog Encanto da Sereia

    Curtido por 1 pessoa

  2. Aqui na minha cidade (não sei se existe em todas) tem um projeto chamado livro do mês, onde tanto as escolas públicas como as particulares adotam um livro em comum, para aquele mês, como forma de incentivo a leitura. E esse é o título do mês de abril se não me engano, pois tem tem cartazes espalhados pela cidade com a foto dele, que coincidência né? Sem falar, que sou super fã dessa editora, pois tem um livro mais legal que o outro (ps. amo livros infantis e infato-juvenis) e tenho várias dela. Ah adorei a resenha, virou minha preferida e esse título, vai para minha listinha. ❤

    Curtido por 1 pessoa

  3. Eu também sou fã do trabalho da Laura, e achei sua resenha maravilhosa. Vou dar um jeito de ler essa obra!

    Ps: Incrível a ideia de colocar na resenha um pouco mais sobre esse problema que acomete tantas pessoas, a Anorexia,

    Beijinhos de luz, Carol – Tea And Books ❤

    Curtido por 1 pessoa

  4. Post maravilhoso, parabéns!!!
    Vou ja colocar esse livro na minha booklist. Adoro quando os autores misturam gêneros tão diferentes assim para chamar a atenção do leitor. Gosto bastante de fantasias bem escritas e entrelaçada com um tema tão importante de ser falado… Deve ser realmente uma leitura incrível!

    Curtido por 2 pessoas

  5. Oiee

    Amei sua resenha!
    Eu não conhecia o livro e achei interessante uma versão da Alice abordando um tema tão sério como a anorexia. Com certeza já vai para minha lista de leituras e parabéns a editora pelo trabalho. Fiquei curiosa.

    bjs

    Curtido por 1 pessoa

  6. A anorexia é um tema muito difícil e sensível de se abordar; adorei a forma que a autora encontrou associando-o com a literatura, mais especificamente, a personagem Alice. Não conhecia esse livro. Muito bom.

    Deveria ser leitura obrigatória nas escolas. A anorexia é uma peste do nosso tempo e deve ser reconhecida como tal e tratada.

    Abraço, Marina.

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s