O canto do cisne

Resenha – O canto do cisne

por: Caroline Moreira

O_CANTO_DO_CISNE_1439677868521777SK1439677868B.jpg

Sinopse: Elena vê sua vida virar de cabeça para baixo quando espetáculo e vida real se misturam. Nos palcos: ela interpreta a princesa Odette, de “O lago dos cisnes”, que, enfeitiçada, tem como sina se transformar em cisne todas as manhãs. Na vida real: tal como ocorre na história que protagoniza, torna-se vítima do mesmo feitiço, e agora precisará encontrar o tal do amor verdadeiro para findar a maldição, sob o risco de perder o papel do espetáculo – e a própria vida. 

Número de páginas: 200
Onde encontrar? O canto do cisne
barra
Bianca Sousa trabalha uma releitura de um dos clássicos do ballet, O lago do cisne, sob uma perspectiva não só dramática, como também bem humorada, deixando a leitura desse conto de fadas moderno, uma experiência singular.
barra

A autora já inicia o capítulo de modo introdutório com um diálogo entre Elena e Lúcia, sua melhor amiga, que discutem sobre o espetáculo visto que Elena havia recebido um e-mail que a convidava para a última audição, onde escalariam o elenco.  Com o talento e beleza da protagonista, é inevitável que ela assuma o papel principal, porém, uma das candidatas não aceita bem essa decisão, embora ela também tenha sido selecionada, contudo, como antagonista. Aline, enciumada, conta com uma ajuda misteriosa para enfeitiçá-la para os seus propósitos, e a partir de então, a vida de Elena se torna mais próxima de sua personagem Odette do que ela esperava.

A sorte só acontece quando a preparação e a oportunidade se encontram.

O feitiço utilizado em “O lago dos cisnes” faz com que a princesa torne-se um cisne todas as manhãs, a menos que encontre o seu amor verdadeiro, sendo esta a única forma de findar a maldição. Para Elena, esse não se torna somente um obstáculo na realização do seu sonho, como também influencia toda a sua vida, dentre momentos cômicos e outros melancólicos, temos acesso a uma literatura leve apesar de apresentar um clássico complexo e denso – um exemplo de um trabalho que aborda de forma mais profunda e dramática seria o filme Cisne Negro –, pois possui uma pegada mais teen e moderna.

A leitura flui rápido por causa não somente do curto número de páginas, como também pela linguagem usada no decorrer do livro, tem-se um vocabulário acessível e uma linguagem informal com pouco espaço para descrições, com a presença de “cortes” que avançam para as partes relevantes e evitam repetições desnecessárias e cansativas. Mesmo que eu realmente aprecie descrições mais desenvoltas, não tive problemas em me relacionar com o enredo e imaginá-lo, como mencionei, a obra possui um quê mais juvenil, o qual acredito ser o público-alvo ainda que seja uma leitura que possa se estender para outras faixas etárias.

“O canto do cisne” também conta com uma contextualização idiomática interessante, pois temos um americano e uma francesa na bancada responsável pelo show e há colocações em suas respectivas línguas, nada extenso e com as devidas traduções no rodapé da página. A despeito dos personagens, apesar do livro ser curto, penso que houve uma boa construção deles, já que conseguiria enumerar características de praticamente todos sem dificuldades e isso considerando que não havia descrições sobre eles. A escritora soube conduzir a narrativa, mostrando-nos suas personalidades sem se estender em apresentações longas ou monótonas, pois todo o cenário do livro tem uma aura leve e descontraída, resultando em personagens e um desenvolvimento muito autêntico e de certa forma, natural. Se eu tivesse de escolher apenas uma personagem seria Lúcia, que é a melhor amiga de Elena, ela é encantadora. É impossível não se emocionar, gargalhar e torcer por ela, para mim, ela foi definitivamente o destaque da trama.

As duas histórias, a do palco e a sua própria, desafiavam a lógica, a fé e o mal.

O romance em si não me decepcionou tanto, porque eu já esperava por um casal “forçado”, afinal, o feitiço precisava ser quebrado através do amor e não havia muito tempo para isso. Contudo, o que eu não aguardava eram as situações clichês que rondavam o casal – discussões, mal entendidos e um passado sombrio –, tornando-se a meu ver o ponto fraco da obra. Nada contra esses clichês, mas somado ao relacionamento não-natural de Elena e Samuel foi um tanto desagradável, não ao ponto de desistir da leitura, afinal, possui um ritmo acelerado e a história progride com um caráter cômico e dramático, no geral e não romântico.

Confesso que o desfecho foi verdadeiramente fantástico, acredito que nele haja muitas lições importantes e, naquela cena, já supunha que isso aconteceria, mas de qualquer forma, foi uma finalização repleta de maestria. Por isso, a obra de Bianca Sousa me trouxe sentimentos tão ambíguos, mesmo que possua esse lado mais juvenil, também carrega traços de uma leitura adulta em alguns pontos importantes. É de fato um conto de fadas, ideal para o público mais jovem, e pela sua maneira moderna de desenvolvimento, penso que acaba sendo uma leitura interessante e satisfatória para os adultos também!

Vocês estão preparados para esse espetáculo?

carol eu

 

 

Dona de 18 primaveras. Feminista. Estudante de Pedagogia. Amante de MPB, animes, k-pop, doramas e uma boa xícara de café. Não vive sem livros, filmes ou maquiagem. É apaixonada por Fred Elboni e quer proteger todos os animais do mundo 🌸

FacebookInstagramSkoobTwitterFlickr

Anúncios

48 comentários em “O canto do cisne

  1. Oi!
    Então, se eu olhasse só título e capa com certeza eu compraria este livro. Mas a sinopse ao me agradou muito… e com certeza isso prejudicaria a minha compra.
    Pelo título eu imaginei algo diferente, mais único. Já li livro nacional que foi uma “adaptação ” de uma obra muito conhecida e que me decepcionou muito. Depois de eu saber que nesta obra tem um pouco disso, fiquei um pouco receosa. Amo livros que tem humor mas não sei se esse eu leria.

    Amei a resenha! 😏❤

    Bju, Dri Ler e amar com a Dri

    Curtido por 1 pessoa

  2. Eu sou meio receosa com histórias assim, que são uma espécie de releitura ou são inspiradas em enredos famosos, acho que não contempla nem o autor atual, nem a obra original. Mas gostei muito da sua resenha, sua escrita é bem leve. Beijos!

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s